sábado, 21 de abril de 2018

Dear White People versão filme... O que achei?

   

   E aí, Mermão? Vim comentar com vocês a minha opinião sobre a versão em filme de Dear White people, que por sinal, foi produzida antes da série, mas acho que a repercussão foi bem menor. Quem quiser ver meu post sobre a série é só clicar AQUI!
   Depois de muita enrolação, finalmente assisti esse filme na Netflix e devo admitir que gostei, não tanto quanto esperava, mas gostei. Na versão filme, eu vi muito de mim na Sam White, as inseguranças, o desejo de mudança, o medo, a questão com o relacionamento interracial, etc. 


   Percebi que os personagens estão construídos de uma forma bem diferente da série, cada um de um jeito, cada um em ponto de vista diferente. Mas gostei do roteiro, gostei de como foi apresentado pra gente. A pluralidade negra ainda se mantém, mas por ter apenas 1:30 aproximadamente, muita coisa ficou vaga, muitas linhas soltas, não estava bem explicado várias situações, isso foi o que me incomodou bastante. Também não gostei muito do desfecho, mas num geral, é sim, um  bom filme e que merece ser assistido. 


Um beijo e Falow!

quinta-feira, 19 de abril de 2018

O que penso quando lhe vejo

   

  Queria estar em você e saber o que você pensa quando olha para mim, mas, já que não posso, me contentarei à falar o que penso quando lhe vejo. 
  Vejo em ti um homem incrivelmente maduro e inteligente, capaz de conquistar o mundo inteiro se quiser. Um homem que teve muitas oportunidades na vida, mas foi sábio o suficiente para não deixá-las ir.
  Vejo em você um rapaz que transborda amor e bondade por onde passa, mesmo que, às vezes, involuntariamente. Alguém corajoso o suficiente para fazer o bem, não importa a quem. 
   Você é, meu amor, um homem cheio de encantos, que, independente de mim, sempre será o cara mais incrível que eu tive o privilégio de conhecer. 

domingo, 15 de abril de 2018

O que achei do final de La Casa de Papel



   E aí, Mermão? Eu vim falar sobre o que eu achei da segunda temporada de La Casa de Papel e devo lhe alertar que esse belo post, terá MUITO SPOILER. Então, se você não assistiu, por favor, se retire. Quando eu assisti a primeira temporada em janeiro, não fiz um post comentando ou dando minha opinião, perdão por isso, mas o meu estado referente a segunda temporada precisa ser exposto. 
   Bom... Lembro que odiei o ultimo capítulo da primeira temporada. Eu só conseguia pensar: "Mentira! Que Merda! O professor sabia cada passo que a polícia ia dar e não acredito que ele não sabia que mais cedo ou mais tarde a policia acharia a casa. Ele tinha que ter limpado tudo!" E quando eu vi que tudo estava armado, eu me surpreendi muito, cara, como eu não pensei nisso? O meu marido Sérgio é muito inteligente! 
   Eu fiquei com muito ódio e amor por Berlim ter mandado a Tóquio pra policia. Eu já não estava aguentando as muitas merdas que essa mulher feliz, porém, não gosto muito do Berlim, mas adorei o modo como morreu. Foi muito massa a atuação dele nas suas últimas cenas e as balas atacando ele. Sem contar, que ele acabou saindo como o herói dos "assaltantes", sem ele, o plano não teria funcionado. 


   MINHA GENTE, COMO ASSIM A TÓQUIO É MÃE DO DENVER? AINDA NÃO ENTENDI ISSO.... EU TO LOKA? ALGUÉM ME EXPLICA? NÃO SEI OPINAR A RESPEITO DISSO.  
    Eu amei o final. O que me deixou muito triste e me fez chorar foi a morte do Moscou. Denver é meu amor, vou namorar com ele. Fiquei bem feliz pq o "roubo" deu certo e o fato de ter posto em dúvida: Quem realmente são os mocinhos ou bandidos. Quebrou essa nossa visão maniqueísta de filmes, séries e até, da nossa própria sociedade.  


Fala comigo nos directs do Twitter ou instagram pra eu saber o que você achou dessa série maravilhosa. Um beijo e Falow!


sexta-feira, 13 de abril de 2018

Por que o blog se chama virando mundos?



E aí, Mermão? Hoje eu vou contar um pouquinho sobre a escolha do nome do blog. Isto é algo que sempre quis compartilhar com vocês, mas nunca tomei a real iniciativa.
Esse blog já teve dois nomes: Meu mundo inabitável, que tinha como intuito, dizer que ninguém consegue habitar, é algo diferente, um mundo na minha cabeça. Mas acabei por achar o nome muito infantil e por isso mudei.
O segundo nome era “Ansiedade Literária” quando tentei transformá-lo apenas em um blog literário, o que não deu certo, porque sou muito eclética, gosto de tudo que envolva os jovens. Ansiedade Literária é termo usado para representar alguém que não se contenta em ler apenas um livro por vez, quer sempre ler mais e mais.
Mas, chegamos ao resultado do que é hoje: VIRANDO MUNDOS. Por que esse nome? Eu precisava de um nome que fosse mais maduro que o primeiro, porém, que não perdesse a essência da juventude e adolescência. Algo que não especificasse, como o segundo, mas que pudesse abranger tudo que o universo teen tem para nos oferecer.
Então, após pensar tanto, resolvi me inspirar em um livro que gosto muito, que é Cidades de Papel. Eu amo a Margot e me identifico com ela em muitas coisas. Então quando eu estava lendo as frases marcadas no livro, me dei conta no que o Quentin falou: “Ela deve estar por aí fazendo coisas de Margot, virando o mundo de cabeça para baixo”. E me dei conta que é isso que faço, quero mudar, quero mexer, usar a criatividade, opinar, compartilhar, virar mundos de cabeça para baixo, mexer com as coisas a nossa volta.
Não quero que vivamos numa mente quadrada e com o que nos impõem, mas que a gente saiba se divertir e ter voz, com toda a responsabilidade, obviamente. Poder compartilhar o que faço no dia a dia, viagens, passeios, experiências. Poder falar sobre minhas roupas e estudos. Compartilhar quais séries, músicas, livros e filmes estou consumindo e gostando.
Virando Mundos foi o nome mais ideal para abranger tudo e o nome que mais me encontrei. Não vim para ser comum ou parada. Vim realmente para virar mundos de cabeça para baixo.


Um beijo e Falow!

sábado, 7 de abril de 2018

Resenha | Melhor que Comprar Sapatos


Título Original: Melhor que comprar sapatos
Autor: Cristiane Cardoso
Editora: Unipro
Avaliação: ★
Páginas: 291

"Apesar de tudo que você tem passado, Sempre há uma chance de recomeçar. Deus nos dá essa oportunidade a cada manhã. Talvez seja essa a razão que temos o dia e a noite." 



   E aí, Mermão? Vim fazer a resenha de um dos livros que li da Cristiane Cardoso e livro mais recente que li dela, até o momento. 
   O livro Melhor que comprar sapatos é dividido em duas partes, a primeira "De Dentro para Fora" e a segunda "De solteira a vida de casada". Onde nos deparamos com duas vertentes de textos escritos pela autora. 
    Na primeira parte, Cristiane nos fala sobre preocupações do dia a dia, nossa vida como mulher, como diferencial, etc. E a segunda, ela embarca na vida conjugal, familiar, conselhos de quem deixa de ser uma simples mulher, para ser uma esposa. 

Minha Opinião: É um livro tranquilo de ler, que não nos força a prosseguir, mas que dá vontade de continuar por conter apenas crônicas curtas com diversos conselhos. Ele desperta no mais íntimo da mulher a vontade de mudar, querer ser mais ativa dentro da sociedade e dentro de sua casa, fazendo a diferença. Eu super recomendo para qualquer mulher.

Um beijo e Falow!

quarta-feira, 4 de abril de 2018

MINHA CARECA


Adeus drogados cheios de química!
   E aí, mermão? Hoje eu vim falar sobre algo louco, algo libertador que eu precisava e queria fazer, mas por muito tempo eu não tive coragem, que é ficar carequinha. Não raspei a cabeça 100%, não estou definitivamente sem cabelo, mas ta tão baixinho, menor que o do meu namorado e do meu irmão até. Então, chamo carinhosamente de careca.

   Bom, eu raspei porque eu queria fazer a transição capilar, queria assumir muito o meu cabelo natural e como vocês sabem, fiz box braids, para que crescesse antes de cortar, mas acabei não tendo coragem e alisei novamente.

Ainda no salão

   Agora em 2018, muito mais certa de que queria fazer isso, com a convicção de que cabelo cresce, com a certeza que eu devo parar de maltratar meu cabelo e minha raiz por causa de um padrão e com muito apoio do meu namorado, corte.

Posso, sou e serei feminina mesmo careca

   De início eu pensei que ia ser só pra realmente deixar crescer natural, mas a sensação está muito além disso. Eu estou me sentindo uma verdadeira mulher linda, poderosa, capaz de conquistar o mundo. Estou me sentindo livre, dona de mim e me amando loucamente. Digo e repito sempre: Eu nunca pensei que sentiria tão bem careca! 
   Estou amando essa nova Keyla, estou amando a Keyla que está nascendo de todo esse processo e estou simplesmente, me amando loucamente. 

Vou deixar um vídeo incrível sobre careca aqui para vocês verem. Um beijo e Falow! 


terça-feira, 3 de abril de 2018

Viagem | Gravatá



   E aí, Mermão? Mas um post sobre viagem. Hoje eu vim falar sobre uma cidadezinha do interior de Pernambuco, que tem um clima bem frio, várias "montanhas". Alem de ser um lugar bem bonito, é ótimo para descansar e sentir aquele friozinho bem gostoso. 
   Eu fui em janeiro do ano passado para um acampamento do Topo e foi sensacional. Eu amei o acampamento, foram os 3 melhores dias da minha vida sem sombra de dúvida e também amei o local. 
   Foi muito bom dormir no friozinho sem precisar de algum tipo de aparelho eletrodoméstico, foi muito bom acordar cedinho e dar de cara com pessoas e um lugar com animais e plantas, foi muito bom passar três dias apreciando a paz e a beleza de  um pequeno espaço. 



Um amigo Incrível!

Um beijo, visitem Gravatá se tiverem oportunidade. Falow!

sábado, 31 de março de 2018

TOMB RAIDER



   E aí, Mermão? Ontem eu fui ao cinema com o meu namorado e assisti a adaptação cinematográfica do jogo Tomb Raider e, resolvi contar um pouquinho pra vocês sobre o que se trata o filme e dizer a minha opinião. 
   O filme conta a estória de Lara Croft, que após a morte do seu pai, tem que assumir as empresas da família, mas Lara se recusa a acreditar que durante o período que ficou longe de seu pai, ele tenha realmente morrido. Então, Lara resolve descobrir a verdade de sua família e ir atrás do seu pai, para ter a certeza de que ele realmente faleceu, o que a leva a uma ilha japonesa extremamente perigosa, cheia de mistérios e aventuras fascinantes.


   Apesar de não ter pesquisado nada a respeito do jogo, ou não ter jogado, eu amei a construção da personagem. Ela é uma protagonista muito forte, bastante corajosa e inteligente, que não desiste dos seus objetivos e não se deixa ser intimidada por estar rodeada de homens, em todos os locais ao longo do filme. Devo de ser que é uma lapa de mulher e que gostaria de ser um pouquinho como ela, afinal, ela é incrivelmente inspiradora. 


   Eu não me lembrava muito bem do trailer quando fui assistir o filme, mas lembrava que queria vê-lo, e, não me arrependi. Achei o filme bastante interessante, divertido, com muita ação e extremamente inteligente, com "charadas" para serem desvendadas, quebra-cabeças para serem montados, etc. É um filme incrível, que não tenho medo de recomendar para quem tem interesse em ação ou jogos do tipo. 

Um beijo e Falow!

quarta-feira, 28 de março de 2018

REPRESENTATIVIDADE EM PANTERA NEGRA NÃO EXISTE



   E aí, Mermão? Lamentavelmente vou ter que conversar um pouco sobre essa frase que tem no título do post, conversar um pouco sobre pensamentos, não falarei nada que outras blogueiras, youtubers, estudantes, etc. negras, não já tenham falado. Mas, vou encarar esse post como um desabafo pessoal a respeito do que aconteceu hoje. 
   Eu estava na aula de Língua Portuguesa I na faculdade, quando a professora começou a falar a respeito do filme Pantera negra, a questão dos atores negros em Hollywood e aí eu escutei, não da professora, algo semelhante a seguinte frase: "Não tem nada a ver isso de representatividade, é só mais um filme de super herói". Cara, essa frase me doeu tanto, que vocês não tem noção. 
   É muito fácil uma pessoa branca, que está em todas as novelas, filmes, bonecos, peças, falar isso. É muito fácil um branco ir ao shopping, a universidade, a sei lá mais onde e se ver lá, e se sentir representado. 
   A Marvel, a DC, tem muitos super heróis, mas são quantos negros mesmo? Eu nunca me senti tão representada como uma figura importante quanto me senti assistindo esse filme. Sou mulher e temos aí a mulher maravilha, magra, BRANCA, padrão, ela me representa muito menos do que a Shuri, irmã do pantera negra, que por sinal é forte e extremamente inteligente. 
   Um aviso pra quem acha que Pantera negra não é representatividade: Negros no cinema protagonizando algo, é coisa muito rara. Negros em ascensão é muito raro. Então, o mínimo que vocês podem fazer, é respeitar nosso momento de visibilidade, respeitar nossa alegria e entender que as pessoas de nossa cor precisam ser valorizadas tanto quanto vocês são. 

Viagem | Barra de Sirinhaém




   E aí, Mermão? Durante um feriadão que ocorreu em um dos últimos meses de 2017, eu tive a oportunidade de fazer uma viagem para um lugar simples, mas que eu nunca tinha ido, Barra de Sirinhaém. 
   É um lugar bem tranquilo e litorâneo. E se tem praia, já sabe que eu amei loucamente, não é? Eu amo tudo que tem praia, não me canso de passar férias ou feriados nesse tipo de lugar. 



   Quando eu viajei para Barra de Sirinhaém, eu fiquei numa pousada bem simples, porém tranquila e  bem aconchegante. Que tinha redes disponíveis para se balançar, jogos de tabuleiros, piscina, wi-fi e o preço foi bem tranquilo. Não me arrependo nem um pouco de ter ficado numa pousada mais simples e inclusive aproveitei bastante os meus dias. 
   Se quer um conselho, vá pra Barra de Sirinhaém. Vá descansar, vá aproveitar a paz e a beleza que o local tem para oferecer. Me senti extremamente abraçada pela natureza que me rodeava. 




   Viagem, amigos! Um beijo e Falow!

quinta-feira, 22 de março de 2018

Músicas que marcaram minha infância

   

   E aí, Mermão? Um dia desses eu estava ouvindo uma música que tocava bastante na minha infância e me lembrei como era bom poder escutar diversos tipos de música sem maldade e me divertir com aquilo. Então eu vim aqui para falar um pouquinho sobre algumas músicas que tocava na minha infância. Vamos lá? 
   Aqui nessa listinha não vou postar apenas músicas infantis, mas músicas no geral que eu curtia com familiares, amigas, colegas de escola, etc. 


  • Ragatanga - Rouge

  • Por que me amou tanto assim? - Diante do Trono

  • Deixa acontecer - Grupo Revelação

  • Aos olhos do pai - Crianças Diante do trono

  • Como é grande o meu amor por você - Roberto Carlos

  • Sou a Barbie girl - Kelly key

  • Cinco macaquinhos - Xuxa

  • Lua de Cristal - Xuxa

  • Homenzinho Torto - Aline Barros

   Se você nasceu na mesma época que eu, teve o privilégio de apreciar essas e demais músicas que também foram importantes para mim. Então, faça como eu, pense no que essas canções lhe proporcionaram de bom, escute-as novamente se necessário e reviva essa época incrível que é a infância.


Um beijo e Falow!

sábado, 17 de março de 2018

Falsa Favelada?



   E aí, Mermão? Hoje eu vim falar sobre algo importante e que mexeu comigo, apesar de ser bem simples. No meu "recado" do whatsapp tem escrito assim: "Favela vive implorando por paz", aí um amigo, periférico e negro, veio no meu chat e falou: "Teu recado é o pior. Mora na zona nobre e quer pagar de favelada". 
   Tudo isso me fez refletir sobre a ignorância das pessoas e sobre a minha real vida. Não sou nenhuma ativista do movimento negro, nem uma super defensora dos pobres do país. Só que eu estudo e consigo perceber a enorme diferença social que assola o nosso Brasil. 
   Fiquei refletindo sobre a minha vida e percebi que esse meu amigo esqueceu que eu também sou negra, que a minha avó morou anos numa favela e trabalhou arduamente para criar sozinha duas filhas, que meus melhores amigos são favelados, que os dois namorados que eu tive moram em comunidades, que eu evangelizava e distribuía alimentos nas favelas, que meus ícones da música são periféricos e que, acima de tudo, o que a favela brasileira precisa é de paz, e se existem pessoas dispostas a abraçarem essa causa e ajudar, não é pra ninguém ficar criticando, e sim, usar isso ao favor.
   Não moro na zona nobre do cidade, como ele erroneamente falou. Moro numa casa pequena, numa grande avenida, que é rodeada por várias comunidades. Mas, confesso que estou inserida em espaços - graças ao esforço de minha avó - que muitos periféricos não chegam, como faculdade e Universidade. E já que não há quem lute ou fale nesses lugares, eu vou fazer isso. 
   Não estou tomando lugar de fala de ninguém, nem me doendo com a causa dos outros, mas como Negra e parente de favelados, me sinto no direito e dever de falar, quando não tiver alguém que vive essa realidade por perto para se expressar. 

   Espero que vocês tenham entendido o post, não aceitem questões que vocês também possam lutar contra. Um beijo e Falow! 

terça-feira, 13 de março de 2018

QUE LAPA DE FILME | PANTERA NEGRA

  



  E aí, Mermão? Hoje eu vim falar sobre o M-A-R-A-V-I-L-H-O-S-O filme Pantera Negra. Eu assisti esse filme na terça-feira (06/03), mas confesso que eu não estava com tantas expectativas, logo, o filme me surpreendeu muito. 
   Mesmo não esperando muito do filme, eu estava bem ansiosa para assisti-lo, já que o protagonismo negro é muito forte, há pouquíssimos brancos no elenco (Thanks God). Resumindo: Pantera Negra não é só mais um filminho de super herói! 


   O filme fala sobre T'Challa, que ao perder o pai, se torna rei de Wakanda, recebendo assim, uma responsabilidade maior e apoio e oposição das pessoas que compõem as tribos do reino. 
   Ao longo do filme, muitas verdades sobre Wakanda e o reinado de seu pai são revelados, novas pessoas aparecem, batalhas são travadas e uma nova expectativa para o mundo é imposta. 
   Eu amei muito esse filme, porque eu pude ver ação, história, aventura, tecnologia e MUITOS NEGROS. Achei um filme importantíssimo, porque apesar de fictício ele nos traz a perspectiva de negritude que é escondida: Negros inteligentes, fortes, capazes de mudar o mundo e revolucionar ciências.


   Recomendo que TODOS assistam, gostando ou não de super heróis. Um beijo e Falow! 

domingo, 11 de março de 2018

POR FAVOR, LEIA LIVROS NACIONAIS!!!


   E aí, Mermão? Vim hoje pra fazer um apelo para vocês muito grande e desnecessário, que é pedir pra que vocês leiam LIVROS NACIONAIS. Ultimamente tenho lido bastante livros brasileiros e tenho me surpreendido com a variedade incrível de autores e histórias que temos. 
   Não acho errado lermos livros internacionais, best-sellers ou clássicos estrangeiros, porém, estamos nos focando tanto nisso que acabamos impedindo, involuntariamente, que editoras invistam nos nossos autores.
   Há histórias  de fantasia, infantis, YA, pesquisas, escritas por diversos autores nacionais  tão bons quanto os estrangeiros, o problema é que falta conhecimento dessas obras maravilhosas. Então,  por favor, vamos dar espaço pra essa galera que se dedica pra trazer livros novos para as nossas vidas. 
    Nós valorizamos tantas coisas, cantores nacionais, políticos nacionais, etc. e esquecemos de valorizar os autores, pessoas que trazem diversão e conhecimento para nossas vidas. O que o Brasil precisa é de investimento em literatura, em educação, mas isso começa na gente. 
   Então, mais uma vez: POR FAVOR, LEIAM LIVROS NACIONAIS!!!

Um beijo e Falow! 

quarta-feira, 7 de março de 2018

Resenha | Namoro Blindado (Renato e Cristiane Cardoso)



Título Original: Namoro Blindado
Autores: Renato e Cristiane Cardoso
Editora: Thomas Nelson Brasil
Avaliação: ★
Páginas: 314

"A pessoa que você sonha ter, pode não ser a pessoa que você precisa."


   E aí, Mermão? Vim falar sobre um livro que li recentemente e gostei bastante. Vocês sabem que gosto de todos os gêneros de livros e os de relacionamentos não me escapam. Já li outros livros do casal e gostei bastante também. 
   Esse livro fala sobre o desenrolar do namoro com o foco no casamento, já que, com a experiência dos autores com relacionamento, descobriram que o divórcio inicia desde o namoro. 
   Então eles falam sobre como escolher a pessoa, o que é importante ser observado, como agir durante o namoro e depois do namoro, se realmente deve prosseguir ou terminar a relação para não se casar com alguém errado, o papel dos pais no relacionamento, o envolvimento da família de origem, etc. 


   Eu recomendo muito esse livro, acho que falaram de tudo que é importante, sem deixar nem um pingo de dúvidas. Só não recomendo as feministas, que vão discordar de muita coisa que o Renato fala no livro sobre conquista, etc. 
   É isso, espero que tenham gostado do post. Leiam Namoro blindado, sendo solteiro ou já estando em um relacionamento, neste livro encontrei dicas preciosíssimas. Um beijo e Falow!

sábado, 17 de fevereiro de 2018

Últimos filmes NACIONAIS que assisti


   E aí, Mermão? Vim falar para vocês os últimos filmes brasileiros que assisti na netflix. Eu não sou muito fã de filmes brasileiros, mas recentemente tive bastante vontade assisti-los, apoiar nossas produções culturais e artísticas, e me deparei com três filmes com enredos totalmente diferentes, mas bem interessantes. Então resolvi comentar um pouquinho sobre eles com vocês. 

  • Besouro
Esse filme, eu assisti com o meu namorado e foi muito além do que eu pensava. Ele fala sobre um capoeirista chamado Besouro, que foi ensinado desde criança por um mestre incrível e ele deve conduzir o resto dos seus "irmãos". Achei o filme bastante interessante porque ele explorou a realidade e essência africana, pode mostrar um pouco mais da cultura e desenvolver a relação dos negros com as religiões afro-brasileiras. 

  • Uma loucura de mulher 
Quando assisti esse filme, eu buscava algo de comédia que me fizesse rir bastante, mas não foi bem o que encontrei, o filme não é de comédia, e se for, não é engraçado. Ele nos traz a vida de uma mulher que está cansada da vida que leva ao lado do seu esposo político e então foge e vai descobrir uma vida que nunca viveu.

  • Amor.com
Eu gostei bastante desse filme. Ele é bem bestinha, porém muito amorzinho, bom para passar o tempo. Eu gostei do enredo, das atuações e do modo como flui bem. Fala sobre, Katrina, uma vlogueira da moda famosa que vive um romance complicado com um nerd gamer. Vale muito a pena se você tiver tempo sobrando. 

Um beijo e Falow!

quarta-feira, 14 de fevereiro de 2018

Minha pesquisa científica






E aí, Mermão? Vim compartilhar com vocês uma experiência incrível que tive oportunidade de viver no meu ano de 2017.
Bom, no início do ano, eu fui convidada por um professor de biologia que é mestre em zoologia, para participar de uma pesquisa científica, porque ele viu que eu era esforçada e gostava dessa área da biologia. Eu topei e ao longo do ano viemos desenvolvendo um projeto de biologia marinha com cnidários.
A minha pesquisa científica, consistia em catalogar as espécies de cnidários presentes na praia dos carneiros em Pernambuco. O filo cnidária é o que se encontram águas-vivas, anêmonas do mar, caravelas, etc.



Eu sou extremamente apaixonada por cnidários e amei poder desenvolver essa pesquisa. Estudar, me preparar, fazer um banner, expor no final do ano e apresentar. Eu tive uma orientação de um homem preparadíssimo e tenho muito orgulho de ter sido aluna dele.
Você tiver oportunidade de participar de alguma pesquisa científica, siga em frente, porque é algo engrandecedor. Você aprende muito, amadurece, cresce intelectualmente, vive novas coisas. Independente da área que você for seguir, se curtir, nem que seja um pouquinho, biologia, caia de cabeça, você só tem a ganhar.
Não me arrependo de ter dedicado parte do meu ano inteiro, ter me reunido todas as semanas, muito pelo contrário, tenho muito orgulho de tudo que desenvolvi.




É isso, gente, espero que tenham gostado. Um beijo e Falow!

terça-feira, 13 de fevereiro de 2018

Viagem | Ponta de Pedra





   E aí, Mermão? Eu viajei para Ponta de Pedra inúmeras vezes, mas em nenhum momento parei para postar aqui e peço perdão por isso. Mas hoje resolvi falar um pouquinho sobre o lugar, sobre meu divertimento, e onde me hospedei nos dias em que fiquei no local. 
   Bom, é mais um local litorâneo, pra variar, porque quem me acompanha aqui no blog ou em qualquer outra rede social, sabe que eu simplesmente amo.




   Ponta de Pedra fica em Pernambuco, não é uma cidade muito grande, porém é bastante visitada por turistas e conhecida por quem mora no estado. Eu amo Ponta de Pedra, é um local que tem uma praia muito boa, com águas limpas e bom de se tomar banho. Em algumas partes têm bastante sargaço, mas nada que impeça um banho legal. 
   Sempre que vou para Ponta de Pedra, fico em uma casa alugada que tem piscina e é bem confortável e espaçosa, com dois quartos amplos, três banheiros, um terraço enorme. É uma casa em que posso aproveitar bastante. 
   Se tiverem oportunidade, visitem Ponta de Pedra, porque é um lugarzinho sensacional, com pessoas bem hospitaleiras e que tem uma praia sensacional. 




Um beijo e Falow!

domingo, 4 de fevereiro de 2018

Expectativa para a Faculdade



   E aí, Mermão? Eu terminei o meu colegial em 2017 e no final de outubro eu já estava matriculada em uma faculdade particular que eu passei. Estou matriculada em Pedagogia, que é realmente dentro do que quero para mim e minhas aulas se iniciam hoje.
   Bom... devo confessar que apesar de ter todos os planos do que quero para o meu futuro e querer fazer minhas faculdades, especializações, pós e mestrado. Eu não estou nem um pouco preparada para a vida universitária. Não estou preparada porque eu amo o colégio. Sempre amei estar em escola, nunca quis crescer, nunca quis terminar o meu ensino médio. 
   Porém, quero muito começar a estudar na faculdade, vivenciar os conteúdos que aparentemente são mais legais que química, estar com pessoas que se identificam comigo. Eu quero muito poder encarar essa nova realidade e crescer como aluna e pesquisadora dentro da instituição, mas preparada, eu realmente não estou.
   Se eu pudesse, tudo isso não seria agora, eu estaria me deparando com o terceiro ano ainda, mas já que essa fase passou, devo abrir meus olhos e minha mente para o novo, que tanto me aguarda. 
   Espero que tenham gostado do post. Quais as suas expectativas para a faculdade? E se já está na Universidade, como é essa vida? Um Beijo e Falow!

sábado, 3 de fevereiro de 2018

Não torne isso sua prioridade

   

   E aí, Mermão? Um dia desses eu estava conversando com uma amiga que quer abrir um negócio e comentou que estava pensando em um espaço de beleza, então, eu falei que com a atual crise, as mulheres não iriam gastar dinheiro com estética. Ela  disse que eu estava muito enganada e que as pessoas gastam sim, porque é a única coisa que as tornam felizes e que as fazem se sentir bem.
   E essa conversa, me fez chegar a duas conclusões: 1) Como as mulheres são superficiais a ponto de gastar com aparência mesmo não tendo dinheiro para isso e 2) Como elas são infelizes a ponto de precisarem da beleza para poder se sentir bem ou realizadas.  
   Não acho errado uma pessoa se cuidar, - até porque me maquio sempre, pinto as unhas - não acho errado ir no salão de vez em quando, fazer as unhas semanalmente ou usar cremes para a pele, mas o que não podemos fazer é: Tornar isso a nossa prioridade.
   É bom estar bonita, mas isso não é o mais importante. Quando vivemos em função da beleza acabamos nos frustrando e nos machucando mais, porque nunca seremos perfeitas como a mídia MENTIROSA impõe que devemos ser. Além de perder tempo investindo em algo que é totalmente passageiro. 
   Somos mulheres, somos mais do que isso. Mais que rostinhos bonitos, mais que corpo escultural ou unha e cabelos bem tratados. Somos lindas, não por causa dos cosméticos que usamos, e sim, porque somos mães, trabalhamos, lutamos, vivemos em um mundo cheio de preconceitos e mesmo assim, batalhamos todos os sem baixar a cabeça. Somos lindas porque somos fortes  e  não porque passamos a vida priorizando a beleza externa. 

Um beijo e Falow!

terça-feira, 30 de janeiro de 2018

Últimos filmes que vi na Netflix

   
 Quando você está namorando, automaticamente assina um termo que a obriga a ver filmes de ação e aventura com seu namorado kkkkk. Por mais que eu não goste de ver filmes desse gênero, desde que comecei a namorar assisti a 3 da Netflix e pelo incrível que pareça, eu gostei dos três, por isso vim aqui comentar um pouco com vocês. 

O MATADOR


O primeiro filme que assisti foi o matador. Gostei bastante da história contada e o peso cultural trazido nas entrelinhas. O filme se passa no nordeste do Brasil e conta a história de um matador, conta a relação de poder dos coronéis, a prostituição, miséria, violência e também a figura de lampião, cangaço e autoridades militares.

DEATH NOTE


O segundo filme foi esse e também gostei muito. Fala sobre um garoto que está no colegial e "ganha" um caderno na morte. Nesse caderno ele pode escrever o nome de uma pessoa, tendo o rosto dela em mente e especificar um tipo de morte, e quando ele o faz, a pessoa morre. No início ele só quer ajudar, matando bandidos e criminoso, mas a coisa foge de controle.

ONDE ESTÁ SEGUNDA?


O último filme que assisti fala sobre 7 irmãs gêmeas idênticas que vivem numa sociedade onde só pode existir um filho por pais. Cada uma tem o nome de um dia da semana, para que finjam ser uma única mulher, saindo de casa só no dia de seu nome.

 renata massa